Compreendi que não me faz falta um corpo, mas apenas um toque, que não me fazem falta as carícias, mas a intimidade. Percebi que não me faz falta as pessoas, mas apenas você. Você que não sei quem és. Maior vazio que o de perdermos alguém é, possivelmente, o de não termos quem perder. Assim estou. Agora como nunca. Sem desejar quem partiu, sem saber por quem esperar. Estou vazio. Não quero o que não é meu. Apenas queria ter algo que pudesse, ao fim do dia, guardar como seguro. Vejo-me a reviver nada que tive. Vejo-me apenas mais uma vez só rodeado de uma multidão que não me vê nem sabe quem sou. Espero. Porque sempre esperei que tudo fosse como sonho. Mas desta vez não sonho. Já não. Já não resta nada em mim senão este saber que nada será como quis que fosse. Espero um dia no meio dessa multidão que nem nota a minha presença, encontrar você. Alguém que me perceba, que me note no meio de tantos outros. Que me escolha para viver uma historia com apenas o começo e o meio, sem o fim. Por que na maioria das historias de amor acabam tristes. E com você não pode haver nem se quer um final. Dizem que algumas coisas a gente leva pro resto da vida, não é? Há algo intenso aqui dentro, algo que por mais que eu tente, não me deixa desistir, a minha vontade de você me motiva a seguir em frente, lembro que algumas vezes eu ouvi falar que a gente dá valor aquilo que não temos nas mãos. Eu vou esperar, eu prometi esperar, e pela nossa felicidade a gente tem que tá disposto a esperar o tempo que for, por que você sabe que no fundo vai valer a pena. É isso, tem que valer a pena, tem que superar as expectativas, tem que ser único, não precisa ser perfeito, tem que ter essência, tem que ter eu e você, tem que ter nós dois, e o resto? Bom o resto… Enquanto houver você, vai ser sempre o resto. E que o que importe mesmo seja nós dóis, juntos, agarrados, colocados, grudados e inseparáveis. Não importa se agora, ou daqui a meses ou anos, por você, posso esperar. Raul, Lai e Larissa. (palavre-ar)


“Andei muito tempo pela estrada da vida, passei por ruas escuras e becos sombrios, sempre tendo a meu lado um vazio lotado de saudade de alguém que nem ao menos eu conseguia me recordar, mas algum dia uma pessoa me disse “Graças a Deus que não lembramos de tudo, certas coisas do passado poderiam destruir cada centímetro do nosso futuro”, nunca levei esse papo muito a sério, até que em uma esquina escura esbarrei com você. Desde então nunca mais caminhei sozinha, você passou a estar sempre a meu lado, tornando passeios monótonos, em momentos extraordinários, até que você me arrancou o primeiro sorriso, naquela gargalhada tão forte e sincera meu coração sentiu já te conhecer de outras vidas, meu cérebro já conhecia cada mania, cada costume antes mesmo que você os revelasse para mim, seria esse o tal do amor ? Queria saber se alguém já reparou tanto em você quanto eu, se alguém via perfeição até mesmo nos seus defeitos, se alguém já reparou o quanto o seu abraço é bom ou o quanto você fica lindo quando você fica bravo? Se alguém já parou pra reparar na cara de fofo que você faz quando fica parado com aquela cara de “me mima”? Será que alguém já reparou no seu jeito de andar? No seu jeito quando tá triste? Quando tá envergonhado? ou quanto tá irritado? Se alguém já viu sua cara de “desculpa” quando você faz alguma coisa errada e toma bronca? Eu tenho certeza que não, porque são coisas que fazem parte do NOSSO mundo.”

— Raphaella, Beatriz Luti. (palavre-ar)

“Hoje será diferente. Não vou ficar chorando nos corredores, nem com cara de triste pela sala. Todos irão ver o meu sorriso. Irão ouvir a minha risada, e não mais o som das minhas lágrimas. Hoje, uma nova garota estará de volta, aquela que todos dão risada e sabe contagiar todos com as suas danças estranhas. Hoje será o dia em que a sem coração estará de volta, onde o cérebro manda, chega de coração. Agora a função dele será bater, e não sentir a porrada, dói levar uma surra e chega uma hora que cansa, cansa só apanhar, e de tando apanhar temos que aprender a bater. Eu mudei, hoje mais que nunca eu quero ser uma pessoa diferente, quero mostrar a todos ao meu redor o quanto cresci. Desapeguei, comecei a dar valor aquilo que realmente vale a pena ser vivido e deixei de lado o que só me fazia mal, não por que eu quis, mas sim por que foi preciso. Na vida, crescer é quase uma obrigação. Afinal, a vida cobra e a gente tem que crescer. Daqui pra frente haverá uma evolução, daquela que sofria por aquela que supera, daquela que chorava por aquela que sorri, daquela que dizia "eu não consigo" por aquela que hoje diz "deixa, eu já esqueci". E meu belo sorriso será minha maior marca. Deixei pra traz a criança entristecida e aflorei em mim a crescida mulher que sempre deveria ser. Passei a dar mais valor a mim mesmo e não deixar qualquer idiota tirar minha alegria. Hoje em dia que manda no meu coração sou eu!”


“Sempre foi isso que eu precisei, só agora consegui ver. Só agora consegui ver que o que eu preciso pra cura dessa monotonia, amores surrados e cansativos são novas pessoas. Novos conteúdos, melhores até para que eu possa esquecer aqueles que não me acrescentam maus nada. Como por exemplo, vou sair e ir na casa das minhas amigas, onde lá vai ter vários garotos do último ano do ensino médio. Um mais interessante que o outro, se é que me entende. Mas a questão é: quero que com isso, ele suma dos meus pensamentos, suma do meu coração, suma da minha vida. Como diz a frase mais inteligente que li hoje: “Lâmpada queimada não se concerta, se troca por outra.”. Muitas amizades e o seu amor para mim já são lâmpadas queimadas… Já tentei arrumá-las, concerta-las e acabei me machucando. Eu preciso aceitar o fato que já não tem mais volta, é preciso de uma nova. Uma nova lâmpada para então me acender e iluminar-me novamente. Eu vou passar a olhar em volta e presta atenção em todos aqueles que foram ocultos de minha visão quando eu tinha você por perto. Foi bom enquanto durou, não vou negar. E pode ter certeza, que entre as melhores coisas que me aconteceram um delas foi você. Mas acabou e estou tentando aceitar isso numa boa. Mas não peça para sermos apenas bons amigos. Afinal, não quero substituir as lembranças de seus beijos calorosos por um simples aperto de mão.Tanta coisa se perdeu, tanta coisa se partiu, sem nem dar aviso, sem nem deixar uma carta remetente, simplesmente se foram, e deixaram tão vazia, tão sem nada que desisti de procurar pelo que não a comprazia. Será mais difícil que o imagino, sim, pois ainda sou aquela menina frágil que aprendeu a precisar tanto de outros para cuidá-la, agora terei apenas a mim mesma. De onde tirarei forças? Não se sabe. Mas sei que sou forte, sempre fui, sempre desviei-me dos denúbios da vida sem muita dificuldade, sempre aguentei as pedradas sem machucar-me por demais, ou simplesmente aprendi a disfarçar isso, não é mesmo? Mas agora… Serei mais forte que nunca, dependerei da pessoa que mais precisou diante todo esse tempo - eu mesma -. Com tantos porém’s, com tantos alguém’s, com tantos e tantos outros agora para trás, restará esse tempo para: se cuidar. Se preservar. Se encaixar. E, amar-se…”

— Não vamos concertá-los, vamos troca-los por outros! - Eduarda, Iana, Beatriz Luti (palavre-ar)

“Depois de dinamitar todas as pontes que me levavam a lugares incertos, atravessar paisagens mortas onde a água deixara há muito de existir, parei junto ao precipício e, naquele instante, tomei a decisão de iniciar a descida, só para ter a possibilidade de experimentar o prazer da subida, devagar, com passos firmes, mas tranquilos e chegar à outra margem. Quem sabe se não terei uns braços à minha espera e um regaço para descansar. O cesto de lixo está lotado. Papéis, ideias, cartas não enviadas, letras reviradas, misturadas. São só rascunhos. Aquilo que tentou ser dito, que foi sentido. Poeiras, vento, marcas da mão e a tinta borrada. Buscar esperanças naquilo é tolice. São só rascunhos, que doeram os punhos para escrever uma história mal contada. Alguns trechos de longos poemas, sem sentido. Talvez o que importe esteja guardado na gaveta. Se um dia precisar novamente de todo este descarte estará, com um coração, na gaveta. Marcado, rasgado ou até apagado. Um coração de rascunhos.”


Hoje fazem mais ou menos 2 anos que nós nos conhecemos.  Desde que te conheci, as pessoas tem me dito que virei uma pessoa totalmente diferente. Mesmo com toda a dor que você me fez passar, eu juro que não me arrependo de ter te conhecido, pois apesar de tudo você foi o dono dos meus sorrisos bobos por um bom tempo, certo? Não posso mentir dizendo que não sinto sua falta… ah, meu caro amigo! Eu acho que é bem provável que eu nunca tenho sentido tanto a falta de alguém na minha vida, quanto eu sinto de você. Ou melhor dizendo, da pessoa que você era quando eu te conheci. Mas como muitas pessoas já me disseram, eu estrago tudo que toco, e parece que com você não foi diferente. Me desculpe aliás por ter lhe feito esse estrago horrível, nunca foi minha intenção, e eu espero que você saiba disso. Muito bem, sua vez agora, de me pedir desculpas por toda a dor causada quando foi embora, quando me despedaçou como se eu fosse feita de papel. Você me deve desculpas por ter estragado a minha vida e minha mente, como eu já havia dito a você, tudo que eu sei fazer ultimamente é pensar em você. Chorar por você, digamos que não choro mais, já ultrapassei essa fase a algum tempo. Uma coisa que eu realmente até hoje não entendi, é que quando você resolveu me abandonar, disse que eu “não te amava”, um segundo, meu amor não foi o suficiente? Deve ter sido isso, pois eu sempre, sempre mesmo te amei, te amei mais do que conseguia, usei todas as minhas forças para te amar. E ainda por cima, recebo isso em troca. Imagina se eu te dissesse que seu amor não foi suficiente? Iria doer não é mesmo? E se pensarmos bem, ás vezes, não foi suficiente mesmo. Na maioria das vezes foi mais do que eu merecia, mas tinha vezes que você realmente não se importava. Tudo bem, que eu te amei muito mais do que você merecia, e a culpa não é minha de não conseguir demonstrar isso. Você era tudo que me importava, tem ideia disso? Com certeza não, com certeza nunca teve um amor por alguma garota assim, como eu tive por você. E quando tiver? Vai passar tudo o que eu passei, e caro amigo, não pense que isso é praga que estou te jogando. Nunca, jamais! É só a lei do retorno, conhece? […] Você sempre me conheceu muito bem, sou mesmo exagerada. Mas como disse que estragou minha vida, para todo estrago tem um concerto, sempre. Para toda lágrima, tem alguém que se importa comigo para secá-la. Você sempre achou que eu fosse dependente de mim e espalhava isso para quase todo o bairro não é? Mas agora isso mudou, mudou totalmente e a culpa é todinha sua. Lembra daquela menina risonha que só andava de all star, com um livro na mão e só queria saber de te abraçar, pegar na tua mão, mimar… Ela não existe mais. Hoje tudo o que ela quer é ter sempre seu salto alto, ter sempre meu batom rosa. É assim que eu sou agora, aquela menina que você sempre achou que nunca ia ter, agora eu sou ela. Giovanna e Eduarda (palavre-ar)


Quer participar do tumblr palavre-ar? (acervo de textos em parceria) Estamos abrindo inscrições.

palavre-ar:

  • Nome:
  • Idade:
  • Tumblr:
  • Porque quer participar desse tumblr?
  • Escreve mais textos em QUOTE, ou em PHOTO?
  • E nos enviar.Entraremos em contato com você.

“Eu preciso de você, não consigo negar isso, é completamente óbvio. Vivem me perguntando o que eu vejo tanto em você, e na maioria das vezes nem eu sei explicar. Já gostei de tantas pessoas, mas nunca foi desse jeito, acho que nunca foi amor com outras pessoas. Quando você me manda uma mensagem, ou quando eu vejo sua janelinha do msn subindo, ou até quando vejo você, meu coração começa a bater mais rápido e mais forte, desperta um sorriso gigante no meu rosto, minhas pernas chegam a tremer algumas vezes, bem essas coisas bobas mesmo. Chego a odiar tudo isso que você me causa, pois acaba virando um caos por desconhecer esse sentimento que chegou para mim só depois que te conheci. É mais óbvio do que eu pudesse imaginar, em todos os lugares eu ouço o seu nome, em cada esquina que passo anseio em te encontrar, em cada rosto que vejo, te sinto mais perto. A cada dia que passa essa tua ausência perturbadora me assola e me entristece com mais freqüência. Eu sinto uma necessidade enorme de te ter por perto, esse sentimento é tão insano a ponto de fragmentar-me por sentir a dor de não te ter comigo, eu te preciso, será que você pode entender a dimensão disso? Dói não te ter pra mim por que eu preciso, é uma necessário te ter pra mim, é uma necessidade precisar de você.”

— Pra você, Gio e Lai  (palavre-ar)

“Se eu digo para você se afastar, na verdade minha intensão, é que você cole em mim, com Super Bonder mesmo. O café forte e amargo que tanto gostava ainda está sendo coado, e os acordes que fazia, ainda estão fazendo o mesmo som. Estou dentro de casa há pelo menos três dias, estou tão triste, tão solta, novamente, porque você não cola em mim? Sentir é pouco, sua saudade me tortura, daqui a pouco ela vira parte do meu ser, se é que já não faz. Suas meias brancas estão secando agora no varal, e suas camisas azuis ainda estão no meu guarda-roupa. Não tenho coragem de lavar as fronhas dos travesseiros, onde seu cheiro ali estar. Pior mesmo, irá ser quando eu entrar no carro, e seu CD começar a tocar, todas as nossa músicas, nossas lembranças, nosso passado. O que um dia foi bom, o nós, que hoje é eu e você. A verdade é que não tenho coragem de me livrar de tudo que um dia foi uma testemunha de nós. Não vou implorar por você, não vou ao menos demonstrar que eu te quero de volta, te quero de volta tanto assim… Até porque se eu demonstrasse, sua namoradinha não ficaria feliz né? É, eu sei. É difícil de acreditar que tudo o que fazíamos no passado, você faz hoje com outra. Será que não sentes nem um pouco da minha falta? Seria maravilhoso se nosso final fosse feliz, isso foi uma indireta.”

— Quer ser meu Super Bonder? Por Leticia e Eduarda. (palavre-ar)

E lá vamos nós continuar a nossa longa caminhada. A vida tem dessas de pregar pessoas na gente, mas nunca devemos perder as esperanças, e mesmo com os nossos caminhos com tantas encruzilhadas nos encontraremos numa dessas, seja tomando um café ou até mesmo em alguma das nossas insuportáveis idas a padaria, seja eu com a minha pior roupa ou você com o seu terrível mau humor, num dia chuvoso ou até mesmo nos esbarrarmos numa rua qualquer. Apesar de tudo eu ainda te espero, eu ainda anseio pela sua presença aqui comigo, eu quero saciar essa minha sede inimaginável de você, eu quero dividir o mesmo cobertor e toda a nossa vida, eu não quero que seja apenas eu e você, e sim “nós” pra toda a eternidade. Me desculpa, é que as vezes eu tenho essa terrível mania de sonhar alto de mais, de querer de mais, essas doses de solidão tem me embriagado há vários dias, ainda lembro-me de quando estava sentada numa mesa de bar tentando afogar as mágoas em algumas garrafas de vodka, o tempo passou e aquela terrível ressaca continua comigo faz tempo, tola eu por imaginar que algumas doses de vodka iriam adiantar alguma coisa. Tantas lembranças, tantas histórias, tantas risadas, tantos beijos, tanto carinho, tanta felicidade. Tantos sonhos, tanta mentira. Não quero que ninguém bata nas minhas costas e fale que estou certa, nem que me console o tempo todo. Só quero que saibam que possuo sentimentos, e os respeite.  Perdi um pouco da minha paciência, da minha ingenuidade, e fiquei sóbria demais. Comecei a desconfiar de tudo… até de mim mesma. Apesar de ver e de ouvir, não acredito mais como antigamente em sonhos. A cautela domina uma pessoa que já foi atropelada pelo excesso de sonhar. E sou mais afortunada ainda por ser única, por ter construído essa personalidade errante e que ainda está se moldando, dentro das estruturas e contextos que se pode.  Eu não vou mais me importar, eu cansei de pessoas falsas em minha volta, cansei de viver no “um abraço pela frente e uma facada por trás”. Eu sinto falta de tudo, é claro. Ainda olho pela janela esperando um dia poder ter ver chegando novamente. Eu sinto falta de cada toque, cada detalhe. Mas talvez isso já não seja mais o certo, tudo mudou não foi? Eu mudei, através das facadas, dos tombos feios, eu aprendi a dar mais valor a mim mesma, eu aprendi a me enxergar de uma forma diferente. Só que acontece que meu peito vem carregado de sentimentos, sentimentos que nem ao menos eu sei se algum dia vou conseguir me livrar deles. Porque tudo acabou assim? Nós perdemos da trilha, soltamos as mãos. Estamos cada vez mais distantes e sozinhos. Mas eu e vou seguir em frente, só que dessa vez será diferente, não vou mais tolerar quaisquer tipos magoa, eu definitivamente cansei de sofrer.LaiBeatriz Iana (palavre-ar)


Palavrear. Palavrear-te, dos pés a cabeça.
Tem coisa mais doce que alguém te cativando? Tem coisa mais forte que alguém te invadindo aos poucos?
theme